Saúde mental e saúde bucal: como elas se relacionam?

0

A saúde mental e saúde bucal possuem uma forte relação, que encontra um denominador em comum na alimentação. Isso porque, ao mesmo tempo em que os dentes são necessários para possibilitar a nutrição, os seres humanos vêem a comida não somente como uma necessidade, mas como fonte de conforto psicológico.

Além disso, como toda a nossa estrutura corporal está interligada, as emoções podem causar sintomas diretos no corpo, enquanto o mau funcionamento do organismo é capaz de ter impactos no bem-estar emocional dos pacientes. O mesmo acontece com a saúde oral.

Não é atoa que a procura por tratamentos estéticos odontológicos, como o clareamento dental, têm se tornado cada vez mais populares entre as pessoas de todas as idades.

Afinal, problemas com a aparência dos dentes também pode ser a fonte de inseguranças e dificuldades durante as interações sociais.

Por isso, compreender a complexa relação entre esses dois setores tão importantes da saúde é fundamental para possibilitar uma boa qualidade de vida.

Como a saúde bucal e mental se relacionam?

O bem-estar bucal e mental estão estreitamente conectados, sendo que um é capaz de provocar interferência direta no outro.

Isso é ainda mais notável com o aumento do interesse sobre os tratamentos disponíveis para deixar o sorriso mais simétrico ou quanto custa um clareamento dental.

A razão principal está no impacto que a beleza do sorriso tem nas relações interpessoais, nos ambientes profissionais e na manutenção da autoestima e confiança.

Mais ainda porque a qualidade do sorriso e dos dentes pode ser determinante para a sociabilidade das pessoas e para a saúde mental.

Ao mesmo tempo, os problemas emocionais podem causar danos consideráveis a integridade e beleza dentária, uma vez que a comida pode ser muitas vezes utilizada como método de escape das emoções desagradáveis e a higienização também pode ser prejudicada.

Formas com que as doenças mentais podem afetar a saúde dos dentes

Os padrões emocionais e as dificuldades com a saúde mental são capazes de interferir no funcionamento de todos os setores da vida, desde os relacionamentos até no aparecimento de sintomas físicos, originando doenças que acometem todo o organismo.

Essas enfermidades aparecem na cavidade oral, comprometendo a estética bucal e as estruturas de sustentação dental.

Na realidade, estudos indicam que os pacientes com doenças mentais severas apresentam 2,8% mais probabilidade de desenvolver a perda dentária, entre outros problemas bucais.

Isso porque essas pessoas tendem a negligenciar os cuidados com a higiene ao mesmo tempo em que procuram na alimentação um conforto compensatório, desenvolvendo problemas com o consumo compulsório de doces, açúcares e carboidratos.

Depressão e Ansiedade

É comum que as pessoas desenvolvam sintomas de ansiedade e depressão ao longo da vida.

Contudo, esses sentimentos podem ser difíceis de lidar e, com isso, os pacientes podem tentar encontrar em uma alimentação mais rica em gordura e açúcar a sensação de satisfação e bem-estar temporários.

Enquanto isso, o desânimo causado por esses sentimentos pode fazer com que a preocupação com a higienização bucal seja colocada em segundo plano.

Assim, as bactérias danosas aos dentes e gengivas tem um ambiente mais favorável para se desenvolver.

Esses microrganismos produzem, em maiores quantidades, ácidos que corroem os dentes e causam:

  • Placa bacteriana;
  • Aparecimento de tártaro;
  • Cáries;
  • Inflamações gengivais;
  • Danos às estruturas de sustentação e perda dentária.

Situações de alto estresse

As situações de estresse estão presentes no dia a dia, seja no trabalho, escola ou em relações familiares e amorosas.

Quando o paciente lida por muito tempo com esses episódios, sem encontrar formas de relaxar, o corpo pode começar a somatizar esse sentimento na cavidade oral.

O estresse é responsável por reduzir a produção salivar, deixando os dentes expostos às ações bacterianas, e ainda é capaz de fazer com que o paciente desenvolva quadros de bruxismo e briquismo.

Essas condições fazem com que a pessoa, inconscientemente, comece a apertar os dentes em uma mordida forte ou a rangê-los durante o sono.

Isso causa o desgaste das superfícies dentárias, trincos e quebras, problemas na articulação temporomandibular e ainda pode ocasionar a perda dentária.

Transtornos alimentares

Doenças alimentares como a anorexia, bulimia e a compulsão alimentar tem um grande impacto em todo o organismo e na saúde bucal.

Isso porque, enquanto a falta de alimentos leva ao enfraquecimento das estruturas dentárias, a ingestão constante de comidas super calóricas incentiva a reprodução bacteriana.

Além disso, o vômito induzido faz com que os ácidos estomacais danifiquem os dentes e até os procedimentos odontológicos, como a lente de contato dental.

Neste caso, a escovação logo em seguida pode causar ainda mais desgaste ao esmalte dentário.

Por isso, esses pacientes comumente desenvolvem problemas como cáries, amarelamento dentário, erosão do esmalte e a perda de um ou mais dentes.

Formas de tratamento

Com o surgimento desses problemas, recorrer a intervenções estéticas, como a aplicação do implante dentário, pode servir para remediar os danos causados.

No entanto, quando a origem dos sintomas é psicológica o paciente deve sempre procurar curar e/ou controlar essas condições.

A terapia comportamental ou o acompanhamento psicológico e psiquiátrico é fundamental para auxiliar as pessoas a entender e lidar melhor com as emoções e sentimentos.

Assim, o paciente pode ficar mais emocionalmente estável e adquirir uma qualidade de vida mais promissora.

O acompanhamento regular com um dentista também é essencial para conservar a saúde dos dentes e para tirar dúvidas quanto ao valor de um implante dentário ou as melhores formas de higienizar a cavidade oral, principalmente nesses momentos mais difíceis.

O cuidado profissional com os dentes ainda melhora a qualidade do sorriso, impactando positivamente na autoestima e melhorando quadros que podem ser o estopim para problemas emocionais ou sociais.

Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe do blog Qualivida Online, site no qual é possível encontrar diversas informações e conteúdos sobre os cuidados com a saúde física e mental.

Fonte: Gabriel Paladino

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.